Pensadores e pensadoras comuns*

O grande desafio da Filosofia é se tornar acessível a todos, mas sem perder sua profundidade. Antonio Gramsci, na sua obra Caderno dos Cárceres, afirma que todos somos filósofos, pois temos a capacidade racional de refletir. Mesmo não sendo filósofos de ofício [especialistas].

Gramsci diferencia o filósofo especialista do não especialista. O segundo [não especialista] também tem a capacidade de filosofar, mesmo que não embasados em teorias filosóficas puras.

Outro desafio do educador e educadora de filosofia: Como despertar [sobretudo nos alunos e alunas] a condição pessoal de sujeitos críticos?

Por que muitos eruditos não concordam com a afirmação de que a Filosofia esta próxima do senso comum? Isso não é desmerecer as teorias e os pensadores. Pelo contrário, é afirmar que a Filosofia não deve estar distante da realidade cotidiana de cada individuo. Precisamos exercitar o filosofar espontâneo e comum. Mas, sempre almejando o filosofar mais especialista [apropriando das teorias filosóficas]. A escola é um importante laboratório de aproximação dos pensadores clássicos e tradicionais.

A Filosofia no Ensino Médio tem a finalidade de desempenhar as habilidades por meio de propostas planejadas e diversificadas, que contemplem as competências de domínio da linguagem filosófica. Construir, aprofundar conceitos, compreensão de fenômenos do conhecimento, propor situações-problemas que levem o aluno e aluna a fazerem escolhas conscientes, éticas e coerentes.

Com isso, não queremos reduzir a filosofia a senso comum, não é isso, mas aproximá-la ao máximo do cotidiano para que os que têm senso comum desenvolvam senso crítico.

Por Márcio Alexandre da Silva (Márcio Alexandre da Silva é formado em Filosofia e educador da rede pública de ensino do Estado de São Paulo- Assis - SP)

24 Response to "Pensadores e pensadoras comuns*"

  1. Márcio says:
    13 de fevereiro de 2009 13:20

    O texto parece simples, mas não é: como fazer com que a filosofia seja compreensível, sem perder a base teórica?
    Os conceitos filosóficos teorizados pelos filósofos são de extrema importância, mas como torná-lo mais acessível?
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  2. Anônimo Says:
    14 de fevereiro de 2009 09:50

    Prezado Filosofo.
    Fica dificil estudar e aprender algo relativo a filosofia quando o nosso modelo de sociologo, um homem inteligente , professor e intelectual, ao ser presidente da Republica quando indagado sobre os livros que havia escrito , e sua postura a frente do governo, declarou que era para esquecer tudo que ele escreveu.
    Agora numa palestra sobre a maconha, declarou que para melhorar o quadro era preciso que os usuarios não fossem presos. Ele não conhecia a lei, que não prende mais o usuario, alegando que o usario é vitima e precisa ser tratada .
    Um grande abraço
    Maria gilka

  3. Márcio says:
    14 de fevereiro de 2009 10:24

    Maria Gilka é difícil formar consciência critica nas pessoas, já que os nossos ditos “intelectuais” dão essas bolas foras, que vemos cotidianamente nos jornais.
    Suas observações são ótimas vindas em bom momento.
    Você acredita que o Brasil tem uma elite pensante convicta das suas fundamentações?
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  4. Regina W. Zarling says:
    14 de fevereiro de 2009 21:27

    Recebi um convite em meu e-mail para acessar seu blog. Parabéns, gostei muito do conteúdo que encontrei.

    Abraços
    Regina

  5. Márcio says:
    15 de fevereiro de 2009 16:09

    Agradeço Regina, visite outras vezes deixe seus sinceros comentarios.
    Abraços.....
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  6. Elton Ficanha says:
    16 de fevereiro de 2009 03:45

    Fui convidado a participar deste blog.
    Tenho admiração pelo conteúdo e quando tiver oportunidade, estarei arguindo os temas abordados.

  7. Márcio says:
    16 de fevereiro de 2009 06:48

    Elton sinta-se interado a discussão e participe quando quiser, será um imenso prazer.
    Agradecido.....
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  8. Wander marcelino girotto Says:
    16 de fevereiro de 2009 07:14

    venho recebendo varios convites para acessar seu blog, mas nunca imaginei que fosse tão construtivo.
    Você esta de parabéns. Sobre o que deveria ser nossas referencias ou representante que estão no poder, eles falam "o que da na telha", mesmo sendo pessoas com formações espetaculares.
    E se preocupam com novas leis e decretos absurdos.

  9. Márcio says:
    21 de fevereiro de 2009 07:50

    Agradeço pelo comentário do Wander Marcelino Girotto.
    Participe outras vezes.
    Grato.
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  10. UBIRAJARA Says:
    22 de fevereiro de 2009 05:48

    Filosofia não é ofício. Ela está aberta a todos.Todos refletem! Com uma atenuante: Nesta imensidão de anos e de experiências nada se cria tudo se copia. Não existe nada diferente de milhões de anos atrás!Tudo que se sente hoje foi sentido a muitos anos e será sentido num futuro longínquo. A percepção de cada um vai ser a experiência final necessária ou não...

  11. Márcio says:
    22 de fevereiro de 2009 11:51

    Concordo com Ubirajara, Filosofia não é ofício.
    Lembro o que disse Kant: “Não se ensina filosofia, mas a filosofar”.
    Ubirajara apareça mais vezes.
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  12. Henrique Gondim Says:
    23 de fevereiro de 2009 14:38

    Boa noite,Márcio

    Comecei a ler o seu blog (Pensadores e pensadoras comuns) e imprimi as páginas de textos para ler na praia, pois, estou passando o carnaval na orla com minha família.
    Vim a cidade resolver alguns problemas e acessei o computador. Após a terça voltarei as atividades normais e irei me deliciar numa rede com os demais escritos.
    A estrutura está ótima o artigo citado acima é ótimo.
    Saudações momescas,
    Henrique Gondim

  13. T says:
    23 de fevereiro de 2009 17:26

    Eu comentei essa questão de leve num post sobre um livro recentemente. "A gente sempre tem aquele pequeno orgulho de certa distinção erudita que nos torna um pouco repelentes aos best sellers..." Dá-se o mesmo com a problemática da relação eruditos + senso comum. Ego! Ademais, gostei muito do blog e vou linká-lo.

  14. Márcio says:
    24 de fevereiro de 2009 08:21

    Caríssimo Henrique Gondim, boa leitura e bom carnaval.
    Acesse outras vezes e deixe as suas importantes considerações..........
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  15. Márcio says:
    24 de fevereiro de 2009 08:23

    Obrigado T.
    Acesse o blog quanto quiser e contribua para os debates.
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  16. Irene Says:
    26 de fevereiro de 2009 06:04

    Gramsci é perigoso... Ensina a começar a roer pelas beiradas, rotineira e incansavelmente, como faz o MST, seus maiores discipulos.
    Estas aulas me parecem muinto tendenciosas, professor. Não seria melhor ensinar todos os lados da moeda?

  17. Márcio says:
    26 de fevereiro de 2009 14:11

    Caríssima Irene, esse blog é o mais imparcial possível. Em nenhum momento do texto citei MST. Quando citei Gramsci foi apenas para fundamentar que todos nós podemos filosofar por sermos seres racionais. Em nenhuma parte do texto cito o referido filósofo fazendo apologia a qualquer movimento.
    Enfatizo que não sou socialista ou tenha ligação com qualquer partido de esquerda. Antes que me interpretem mal. Foi bom ter feita essa ressalva para que eu pudesse me explicar. Obrigado!
    Mas de qualquer forma acato a sua sugestão: e lhe pergunto: o que seria ensinar o outro lado da moeda?
    Participe mais vezes, seus comentario são bem vindos.
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  18. mozartgo Says:
    27 de fevereiro de 2009 11:57

    É...foi bom ler até o final onde, aliviado, vi a sua ressalva de que não é comuna...O pensamento verdadeiramente democrático vê todos os assuntos por todos os prismas possíveis, existentes, mas válidos do ponto de vista republicano autêntico, da verdade! Então, podemos dizer que o tal outro lado da moeda tem vários lados, né mesmo? Não é por outra que os camaleões da politicagem sempre se dizem modernos, néo-socialismo, néo-comunismo e outras cretinices...enquanto se sabe que é tudo farinha do mesmo saco para não fazer analogia com penico e seu uso corrente. Quanto ao MST, podemos dizer que se trata da maior cambada de bandidos, assassinos terroristas à solta, impune nesse brasil infeliz...e financiados descaradamente com esses impostos escorchantes que nos esfolam e são usados sempre pior que papel higiênico usado dos dois lados...Aliás, o que dizem ser feito, quando encontrado, naquele país dominado por aquele genocida assassino alcunhado fidel que deveria ser morada definitiva de todos esses que veneram aquele cretino e que deus o tenha rápido em mau lugar....

  19. Márcio says:
    27 de fevereiro de 2009 17:47

    Mozartgo explanou sua opinião.
    Quem discordar dessa opinião, defenda a opinião contraria.
    E quem concordar, opine em engrosse a fileira dos que pensam semelhante às argumentações de Mozartgo.
    A propósito agradeço pela participação no debate.
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  20. Mayara Says:
    4 de março de 2009 03:36

    Olá, professor
    Recebi um convite em forma de e-mail para acessar seu blog. Parabéns, gostei muito do que encontrei.

    Sobre a filosofia, gostaria de lembrar Sêneca, que afirmou: "A filosofia é um bom conselho".

  21. Márcio says:
    5 de março de 2009 07:22

    Mayara, obrigado pela visita e o comentário colaborativos do pensador Sêneca "A filosofia é um bom conselho".
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  22. irene@frettes.com.br Says:
    6 de março de 2009 12:15

    Motzargo, muito feliz seu comentário do outro lado da moeda ter vários lados. Me lembra que para tudo sempre temos 3 versões:
    a minha, a sua e A VERDADEIRA...
    Márcio, eu tenho um pequeno resumo sobre Gramsci, em espanhol. E, claro que sou absolutamente leiga no tema, mas, o MST (me parece) pratica exatamente o que ele dizia. Filosofos úteis, aqueles que aparecem em algum lugar para propagar a "idéia". Suas crianças aprendem a ideologia de esquerda antes de aprender a ler. Tudo pelo grupo. O indivíduo não conta. Cada vez que eles se agrupam passam fome e passam frio mas, não desistem. São capazes de muito sacrifício pelo seu ideal. E não entenderão que só os de cima ficarão ricos e viverão bem.

  23. Márcio says:
    8 de março de 2009 10:46

    Feliz o comentário da Irene, lembrando que em uma discussão há três versões, a saber, “(...) a minha, a sua e A VERDADEIRA (...)”.
    Será que estamos querendo fundamentar a minha a sua versão ou a verdade?
    Fica esta provocação!
    Márcio Alexandre da Silva – Autor do texto original

  24. João Roberto Gullino Says:
    18 de março de 2009 12:15

    O "revolucionário austríaco da filosofia", Ludwig Wittgenstein, dizia que "se alguém quiser escrever filosofia, procure fazê-lo poeticamente", enquando o poeta inglês Samuel T. Coleridge afirmava que "não houve até hoje grande poeta que não fosse, ao mesmo tempo, profundo filósofo."

    Isto talvez afirmassem em suas respectivas época, porém, hoje, somente a poesia populare, ignorada pela mídia ainda faz um tanto de filosofia, pois os "grandes" poetas são quase incompreensíveis.

    Parece que filosofia está incrustrada no povo, em seus ditos populares - seja na música, seja na poesia, principalmente entre os trovadores.

    Convivendo no meio, existem pérolas totalmente desconhecidas e desprezadas. De duas sempre me lembro e sinto inveja( no bom sentido) de não tê-las escrito.

    Uma é de Adolfo Macedo, do RJ, falecido recentemente :

    "Foi tanta gente querida,
    residir na eternidade,
    que a rua da minha vida
    é asfaltada de saudade"

    a outra de Edmar Japiassu Maia, residente no RJ :

    "Vem as rugas e no entanto
    a mulher não se intimida -
    a perda externa de um encanto
    não desencanta uma vida."

    Mas para dizer que também não as faça - dedico esta ao seu site -

    O que se faz com carinho
    é aroma que se espalha -
    perfuma qualquer caminho
    e vence qualquer batalha.

    Um abraço e parabéns pelo seu site.